A Usina

A empresa S.A. Central Elétrica Rio Claro (SACERC) inaugurou a Usina do Jacaré em 1944, em plena Segunda Guerra Mundial. Sua principal missão era abastecer uma fábrica de armamentos que seria construída na cidade de Limeira.

A guerra trouxe várias restrições de matérias-primas e equipamentos. Parte das tubulações de água foi construída em madeira, porque não havia como importar aço para os tubos.

Além da represa e da casa de máquinas, a Sacerc instalou uma vila residencial, formada por casas com varandas, dispostas ao longo de um grande pátio com mangueiras.

Em 1965, a Sacerc foi vendida à Companhia Hidrelétrica do Rio Pardo, e a Usina do Jacaré terminou incorporada à Companhia Energética de São Paulo - CESP em 1966. Nessa época as pequenas hidrelétricas eram consideradas pouco lucrativas, e em 1970 a usina foi desativada.

Em 1998, a Usina do Jacaré foi doada para a Fundação Energia e Saneamento.

Ficha técnica 

Localização: rio Jacaré-Pepira (bacia do rio Tietê), Distrito de Patrimônio de São Sebastião da Serra, Brotas, SP

Área da gleba: 45,57ha

Capacidade instalada: 2,5 MW

Reservatório: 45ha

Barragem: de concreto, com contrafortes, 226m de comprimento e 2m de altura

Desnível: 133m

Canal adutor: tubulação de madeira medindo 892m de comprimento e 1,40m de diâmetro

Duto forçado: dois dutos de alta pressão, de aço, medindo 90,40m de comprimento e 0,6m de diâmetro

Unidades geradoras: uma turbina tipo Francis, eixo horizontal, James Leffel (USA) de 2.500HP, 1.000rpm e um gerador Westinghouse, 2.500kVA, 1.000rpm

Quantidade de imóveis: 12 imóveis (casa de máquinas, depósito e cabine para transformador; vila residencial com 9 casas).

 

Fundação Energia e Saneamento Alameda Cleveland, 601 - Campos Elíseos - 01218-000 - São Paulo - Tel.: (11) 3224-1499 Desenvolvido por: Memoria Web